Dobrando a esquina2 min read

Estreando minha contribuição no GPS Ligado, começo com um conto inspirado em viagem. O destino? Leia e descubra.
paris - gps ligado
Haviam desembarcado do trem, vindo de Amsterdã, e pego o metrô. Complicado localizar o hostel. Uma combinação de números trocados, falta de atenção, receio de que desse algo errado, ansiedade para que desse tudo certo e cansaço – e efeito da experiência holandesa, tinham de admitir. Passou. Instalados, pensaram, no impulso, em um breve itinerário sem grandes pretensões. Já era fim do dia. Verdade que era verão, e os dias são mais longos ali. Mas, ainda assim, era final de tarde. A ideia era essa mesma: não planejar muito a viagem. Afinal, tinham tempo. Dez dias inteirinhos só para os dois. Partiram.
paris - gps ligado
Era a primeira vez dela na Europa. Segunda dele. A cidade era inédita para ambos. Hospedados próximo a um conhecido ponto turístico, começaram a andar seguindo suas intuições. Ou seus corações, talvez.
paris - gps ligado
À medida que caminhavam, um incômodo foi tomando os pensamentos dela: Mas o que tanto dizem desse lugar? Não vejo nada de mais. Compartilhou seu desconforto. Ao que ele concordou, revelando que estava com o mesmo sentimento. Conversaram um tanto a respeito, avançando com a caminhada. Intercalavam silêncios e trocas de percepções. De almas abertas, ainda que alimentando uma mesma sensação de decepção.
Em certo momento ela toca de novo no assunto, já com os ânimos exaltados pela frustração. Continuam andando. Dobram a esquina. Ela segue com seu discurso. Já inflamado. Ele interrompe: Olha! Apontava para o horizonte. Era a Torre Eiffel. Com ela, todo o imaginário da cidade luz se fez concreto. De modo inexplicável (ou nem tanto), sentiram no ar a magia pela qual ansiavam desde o início. Como um paradoxo, com toda a sua solidez, o monumento era, para eles, da esfera do imaterial, ficcional até. E agora estava ali a poucos metros, brotando de seus pés.
 viagem à paris - gps ligado
Depois disso, a cada canto que viravam, já estavam encantados; um com o outro e os dois por Paris.

Quer receber as nossas dicas?

Bora colocar os dados aqui embaixo. 😉

 

Fernanda Elouise Budag
Professora e pesquisadora. Publicitária de formação. Aspirante a escritora e a fotógrafa. Representante da cota “geração X” do staff do GPS Ligado, são 36 anos dedicados a filmes, séries, viagens, doces e boa gastronomia. Ama shows. De Paul McCartney a Black Sabbath, passando por U2, Pearl Jam, Radiohead, toda a setlist do Lollapalooza e shows de jazz, o que curte mesmo é a vibe do momento. Nos últimos tempos, passou a adorar gifs – que a sobrinha mais velha ensinou a achar no WhatsApp.
Fernanda Elouise Budag on InstagramFernanda Elouise Budag on Linkedin